quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Trecho das Crônicas de gelo e fogo. Tyrion Lannister


“Por que lê tanto ? (...)

- Olhe-me e diga o que vê. 

O rapaz olhou-o com suspeita

- Isto é algum truque ? Vejo você. Tyrion Lannister 

Tyrion suspirou. 

- Você é notavelmente gentil para um bastardo, Snow. O que vê é um anão. Você tem o que ?
Doze anos ? 

- Catorze - disse o rapaz.

- Catorze, e é mais alto que alguma vez serei. Minhas pernas são curtas e tortas, e caminho com dificuldade. 

Necessito de uma sela especial para não cair do cavalo. Uma cela de minha própria concepção, talvez te interesse saber. Era isso ou montar um pônei. 

Meus braços são suficientemente fortes mas, uma vez mais, demasiado curtos. Nunca serei um espadachim. Se tivesse nascido camponês, provavelmente me teriam me expulsado para que morresse, ou vendido para a coleção de aberrações de algum negociante de escravos. 

Mas, ai de mim ! Nasci um Lannister de Rochedo Casterly, e as coleções de aberrações são das mais pobres. Esperam-se coisas de mim. Meu pai foi mão do rei durante vinte anos. Aconteceu que, mais tarde, meu irmão matou esse mesmo rei, mas minha vida está cheia dessas pequenas ironias.

 Minha irmã casou-se com o novo rei e o meu repugnante sobrinho será rei depois dele.

 Devo cumprir minha parte pela honra da minha casa, não concorda ? Mas como ? Bem, poderei ter as pernas pequenas demais para o corpo, mas minha cabeça é grande demais, embora eu prefira pensar que tem o tamanho certo para minha mente.

 Possuo um entendimento realista das minha forças e fraquezas. A mente é minha arma. 

Meu irmão tem a sua espada, O Rei Robert, o seu martelo de guerra, e eu tenho a minha mente... e uma mente necessita de livros da mesma forma que uma espada necessita de uma pedra de amolar se quisermos que se mantenha afiada - Tyrion deu uma palmada na capa de coura do livro - É por isso que leio tanto, Jon Snow.”











Nenhum comentário:

Postar um comentário