terça-feira, 24 de maio de 2011

Trecho do livro Percy Jackson e a Maldição do Titã Saga

Bem em primeiro lugar queria postar um trecho do livro... Simplesmente fala sobre um congresso dos deuses.
Devo terminar o livro hoje....

Trecho...

Voar era suficientemente ruim para um filho de Poseidon, mas voar direto para o palácio de Zeus, com trovões e relâmpagos rodopiando em volta, era ainda pior.

Nós circulamos sobre o centro de Manhattan, fazendo uma órbita completa em torno do Monte Olimpo.

Eu estivera lá apenas uma vez, viajando de elevador até o secreto sexcentésimo andar do edifício Empire State.

Dessa vez, se possível, o Olimpo me fascinou ainda mais.

Na escuridão do começo da manhã, tochas e fogueiras faziam os palácios da encosta da montanha reluzirem em vinte cores diferentes, de vermelho sangue a azul índigo.

Aparentemente, ninguém dormia no Olimpo. As ruas retorcidas estavam cheias de semideuses, espíritos da natureza, e deuses menores fazendo alvoroço, montando carruagens ou liteiras carregadas por ciclopes. O inverno parecia não existir aqui. Capturei o aroma de jardins em plena florescência, jasmins, rosas e coisas ainda mais doces que eu não sabia o nome. Música flutuava vinda de várias janelas, os sons suaves de liras e flautas de bambu.

Elevando-se no pico da montanha estava o mais grandioso palácio de todos, o reluzente
salão branco dos deuses.

E então, lado a lado, entramos na sala do trono.

Doze enormes tronos faziam um U em volta da lareira central, como o posicionamento dos chalés no acampamento.

O teto acima brilhava com constelações.

Todos os assentos estavam ocupados. Cada deus e deusa tinha cerca de cinco metros.

Bem-vindos, heróis,” Ártemis disse.

Grover estava se ajoelhando perante o trono de Zeus, como se tivesse acabado de dar um relatório, mas quando nos viu, ele gritou, “Vocês conseguiram!”

Ele começou a correr em minha direção, então se lembrou que estava dando as costas para Zeus, e olhou pedindo permissão.

Pode ir,” Zeus disse. Mas ele não estava realmente prestando atenção em Grover. O lorde do céu estava encarando atentamente Thalia.

Olhei nervosamente para meu pai, Poseidon. Ele estava vestido de forma parecida com a última vez que eu o vira: bermuda de praia, uma camiseta havaiana e sandálias. Ele tinha o rosto ressecado e bronzeado com uma barba escura e profundos olhos verdes. Eu não tinha certeza de como ele se sentiria me vendo de novo, mas os cantos de seus olhos enrugaram com linhas de sorriso. Ele acenou com a cabeça como se fosse dizer Está tudo bem.

Heróis,” Ártemis chamou.

A deusa deslizou de seu trono e adquiriu tamanho humano, uma jovem garota de cabelo castanho avermelhado, perfeitamente sossegada em meio aos gigantes Olimpianos. Ela andou em nossa direção, suas roupas prateadas cintilando. Não havia emoção em seu rosto. Ela parecia caminhar em uma coluna de luar.

O Conselho foi informado dos seus feitos,” Ártemis nos disse. “Eles sabem que o Monte Ótris está se erguendo no Oeste. Eles sabem da tentativa de libertação de Atlas, e dos exércitos reunidos de Cronos. Votamos por agir.”

Houve um balbuciar e conversas confusas entre os deuses, como se eles não estivessem todos muito felizes com este plano, mas ninguém protestou.

Ao comando de meu Lorde Zeus,” Ártemis disse, “meu irmão Apolo e eu devemos caçar os mais poderosos monstros, buscando atacá-los antes que eles se unam à causa dos Titãs.

Lady Atena deve checar pessoalmente os outros Titãs para ter certeza de que eles não escapem de suas diversas prisões. Lorde Poseidon obteve permissão para liberar toda sua fúria no navio de cruzeiro Princesa Andrômeda e mandá-lo para o fundo do mar. E quanto a vocês, meus heróis...”

Ela se virou para encarar os outros imortais. “Estes meio-sangues prestaram um ótimo serviço para o Olimpo. Alguém aqui negaria isso?”

Ela olhou em volta para os deuses reunidos, encontrando as faces deles individualmente. Zeus em seu escuro terno risca de giz, sua barba preta limpamente aparada, e seus olhos faiscando com energia. Ao seu lado se sentava uma bela mulher com cabelo prateado trançado sobre um ombro e um vestido que cintilava cores parecidas com as das penas de pavão. A Lady Hera.

À direita de Zeus, meu pai Poseidon. Ao lado dele, uma grande massa que era um homem com a perna em um suporte de aço, uma cabeça disforme, uma selvagem barba castanha, fogo tremeluzindo através de suas suíças. O Lorde das Forjas, Hefesto.

Hermes piscou para mim. Ele estava vestindo um terno empresarial hoje, checando mensagens em seu celular caduceu.

Apolo estava inclinado para trás em seu trono dourado usando seus óculos escuros. Ele estava usando fones de iPod, então eu não tinha certeza se ele ao menos estava escutando, mas ele levantou o polegar para mim.

Dioniso parecia entediado, enrolando uma vinha entre os dedos.

E Ares, bem, ele estava sentado em seu trono de cromo e couro olhando ameaçadoramente para mim enquanto afiava uma faca.

No lado feminino da sala do trono, uma deusa de cabelos escuros em roupas verdes sentava-se ao lado de Hera em um trono tecido com ramos de macieira. Deméter, Deusa da Colheita.

Ao lado dela se sentava uma bonita mulher de olhos cinzas em um elegante vestido branco. Ela só podia ser a mãe de Annabeth, Atena.

Então lá estava Afrodite, que sorria para mim de propósito e me fez enrubescer contra a minha vontade.

Todos os Olimpianos em um só lugar. Tanto poder nesta sala, era um milagre que o palácio inteiro não explodisse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário